domingo, 13 de maio de 2012

SAUDADE


Saudade, segundo o dicionário Sacconi, é simplesmente o “desgosto causado pela ausência do objeto querido”... Mas para mim é muito mais que isso, pois eu, particularmente, não sinto saudade de um objeto, mas sim de uma pessoa querida, ou de uma fase especial da minha vida, que, certamente, incluí alguém especial! E sentir saudade não é simplesmente sentir falta de alguém, de alguma coisa ou de algum momento do passado. Sentimos falta quando nos acostumamos com alguma coisa, com a presença de alguém ou com alguma ação rotineira, mas que podem ser substituídas ou recompensadas pela presença de outra coisa ou pessoa. Por exemplo, eu posso gostar muito de um vaso e ele se quebrar, eu sentirei falta daquele objeto, mas poderei substituí-lo por outro igual ou até mais bonito, eu posso sentir falta de um empregado na empresa, mas poderei substituí-lo por outro parecido ou até mesmo mais eficiente que ele, eu posso sentir falta de uma fase da minha vida, mas ser mais feliz atualmente.

Já com a saudade é diferente! Quando sentimos saudade de alguém esta pessoa é insubstituível! Nada e nem ninguém pode preencher este espaço a não ser ela mesma! Por isso, eu não acredito que podemos sentir saudade de um objeto, pois qualquer objeto pode ser substituído. Podemos dar um valor sentimental às coisas, ficarmos tristes ao perdê-las, mas logo esqueceremos. Porém, em relação às pessoas que amamos nem o tempo e nem a distância são capazes de nos fazer superar esta ausência. O tempo simplesmente ameniza esta dor... Porque a saudade doe no peito, é uma dor física.

Saudade, para mim, está sempre relacionada às pessoas. Quando sentimos saudade de uma fase, de um acontecimento especial, enfim, de um momento da nossa vida, podemos notar que esses momentos sempre foram vivenciados na presença de alguém especial para nós, nunca estamos sozinhos... Sentimos saudade da nossa infância, quando convivíamos com nossos avós, com os pais, com os irmãos, com os primos ou com os amigos, que, muitas vezes, já não convivemos mais, seja porque tomaram rumos diferentes na vida, ou mesmo porque já se foram... Sentimos saudade dos tempos da faculdade porque nos divertíamos com os outros estudantes nas festas dos campus universitários e nas reuniões de estudos do grupo... Sentimos saudade de um lugar ou de uma viagem, não apenas pelos pontos turísticos visitados ou pela cidade em si, mas especialmente pelas pessoas que nos acompanharam e que encontramos pelo caminho, pois são elas que tornaram a viagem especial e inesquecível.

Sentir saudade pode ser maléfico ou benéfico, depende de como encaramos este sentimento e também das circunstâncias... Sentir saudade torna-se maléfico quando este sentimento nos deixa triste e angustiado ao ponto de paralisar as nossas vidas, nos levando à depressão. Porém, quando a saudade nos remete a momentos felizes, nos levando a procurar pela pessoa que nos despertou este sentimento, criamos a oportunidade de viver novos momentos felizes ao lado de quem amamos, passando a ser uma ponte para nossa alegria. Sentir saudade nos lembra a importância de valorizar os laços afetivos e de manter contato com aqueles que amamos. Sentir saudade nos lembra a sorte que tivemos de conhecer pessoas especiais e de viver momentos inesquecíveis. Sentir saudade nos faz perceber que o tempo passou, mas sabemos que não podemos voltar no tempo... Porém, segundo Mário Quintana, “O tempo não para... Só a saudade é que faz as coisas pararem no tempo”.

10 comentários:

cimatti disse...

Belíssimo texto, Lucimara! Com argumentação e progressão lógica perfeitas; isso sem falar no sentimento sublime que tiveste a coragem de descrever e, por consequência, redefinir. Há muito tempo, não tenho o prazer de ler uma redação tão bem construída como essa. Meus parabéns!

André Bianc disse...

Faço minhas as palavras do Cimatti. Luluzinha sempre arrasando. Este é um tema muito difícil, não sei se me distanciei muito das coisas que acercam o mundo, ou se é a proximidade da terceira idade, não sei, não quero ser saudosista, entendo que a vida anda para frente, não há outro jeito, e sei também que todo tempo é tempo de viver, mas pensando em minha família, uffa!! é um sufoco danado, um aperto no peito e um nó no coração.
Parabéns, Luluzinha, vc conseguiu me levar as lágrimas. Bjs.

Lucimara Fernandes disse...

Oi Alexandre!
Muito obrigada! Adoro todos os comentários que recebo pelo simples fato de saber que meu texto despertou atenção de vocês para ser lido. E, muitas vezes, recebo elogio pelo tema e pelo contexto... Mas acho que nunca recebi um elogio como o seu, enfatizando tanto a construção do texto! Fiquei muito feliz! Mais uma vez, obrigada!
E, por favor, continue sempre dando sua opinião!! rs
Um grande abraço!

Lucimara Fernandes disse...

Andrézito querido!
Ao mesmo tempo que não gostaria de ter te levado às lágrimas, me sinto lisonjeada por ter amolecido o coração deste poeta rebelde... E confesso que também me emocionei ao ler o seu depoimento! No post anterior eu falei sobre RECONHECIMENTO, que por incrível que pareça, não recebeu nenhum comentário... Mas, hoje, você e o Alexandre Cimatti me proporcionaram esta satisfação! Muito obrigada!!!
Um grande beijo!
Luluzinha

cimatti disse...

Lucimara, tomei a liberdade de ler sua resposta a respeito do comentário de nosso amigo Bianc. Nela, você expôs sua decepção ao não ter um feedback de seus leitores na penúltima postagem; gostaria de dar uma dicazinha: de procurar "fazer propaganda" de seus posts no mural da confraria ou do MPV... foi lá que tomei conhecimento da postagem de "SAUDADE".

Até!

Lucimara Fernandes disse...

Oi Alexandre, sim, eu preciso fazer mais isso mesmo... Mas como divulgo na minha conta do Face e a maioria dos confrades estão lá, acabo não divulgando muito no grupo... Quanto ao post anterior, não fiquei chateada não... Só achei engraçado justamente o post que falava de reconhecimento não ter a mesma repercussão como os outros... rs. De qualquer maneira, seguirei o seu conselho! Obrigada!!
Um abraço!

Regina disse...

Saudade!!! Lembrança de um afeto, de um beijo,de um olhar até mesmo de um cheiro.Nos remete a um passado distante ou não.Por vezes gostariamos de eternizar um momento que na verdade se eterniza em nossa mente.
Sentir saudade significa que vivemos momentos felizes com pessoas queridas,significa que VIVEMOS.
Gostei muito do seu texto querida.
Um bj grande pra vc

Lucimara Fernandes disse...

Oi Rê!!!
Adoro seus comentários! Você citou algo interessante que eu também deveria ter incluído ao texto, que muitas vezes sentimos saudade de um momento recente, e não apenas de um passado distante!! Muito bom! É uma grande verdade! E me fez pensar em uma pessoa que, sempre, mesmo antes de partir já me provoca saudade...
Muito obrigada!
Um grande beijo!

pedro disse...

Bom, faço das palavras da Regina, as minhas...
Sinto saudades de olhares, cheiro, gestos, palavras...Sinto saudades de pessoas que se foram e sei que nunca mais voltarão. Sinto saudades de pessoas que poderiam voltar e não o fazem. Sinto saudades até de quem não deveria...Mas enfim, como a Regina disse, sentir saudades significa que VIVEMOS!

Lucimara Fernandes disse...

Olá Pedro!
Verdade, e melhor, significa que vivemos bons momentos, que marcaram nossas vidas e que gostaríamos de repetir!
Obrigada pelo comentário e pela constante participação!
Um abraço!