sábado, 7 de setembro de 2013

A liberdade e o tempo

Hoje acordei com sirenes tocando e por um instante não sabia onde estava... Levantei-me assustada e aos poucos percebi que estava em meu quarto... O quarto onde durmo há um ano e meio, mas que não me lembrei ao acordar assustada com o som daquelas sirenes... 

Sirenes dos bombeiros no desfile de 7 de Setembro, Dia da Independência do Brasil, que representa a liberdade do país, que deveria representar a liberdade de seu povo, mas que não representa a minha liberdade...

Vivo no presente ligada ao passado... Um passado que não volta mais, mas que insiste em viver presente no meu pensamento... Um pensamento constante que insiste em me manter estagnada, me impedindo de enxergar um futuro de liberdade, livre das amarras do passado.

Mas um passado que insiste em se manter presente é um passado feliz, um passado que ainda tem muito a realizar num futuro próximo! Ou teria se perdido no tempo... Tempo que insiste em passar...

Porém, só o tempo é capaz de curar as feridas, consertar as coisas e colocar tudo em seu devido lugar... E se mesmo com o seu passar ele continua a manter o passado presente é porque o tempo deste passado ainda não acabou!

Passado, presente e futuro estão sempre ligados pelo tempo. E o tempo não tem fim, tem apenas o final de um ciclo e o início de outro, que juntos formarão uma história. E toda história dever ter começo, meio e fim. 

E se o fim desta história ainda não chegou é porque ainda falta muito tempo para eu me libertar do passado... O que não significa que ele deixará de fazer parte da minha vida, porque a vida também não tem fim, mas sim etapas de transformação. E transformar uma vida também leva tempo...

E tudo tem seu tempo para acontecer... Aliás, tempo que espero ter para concluir esta história... Uma história de vidas que se cruzaram, de laços que se formaram, de nós que foram atados... Nós que prendem e impedem a liberdade de ambos.

Liberdade relativa, pois há quem não a possui e que se sente livre! E aquele que é livre, mas se sente preso... Porque a liberdade está na cabeça de cada um e não na condição do indivíduo!

Mas independente da sua condição, o indivíduo que não é livre perante a sociedade sofre as consequências de seus atos supostamente livres, tendo que responder por eles, mesmo com a sua consciência tranquila, pois, muitas vezes, as suas atitudes não condizem com o que a sociedade exige de nós... Então, insisto que a liberdade é relativa!

E é justamente a falta de liberdade que impede a continuidade de uma história... História que só poderá continuar sendo escrita com relativa liberdade... Sendo assim, nesta noite de liberdade, peço: Liberdade, Liberdade, abra as asas sobre nós! Tempo, nos dê tempo, de viver a nossa história... Uma história com final feliz!


4 comentários:

Frederico Salmi disse...

Independência do país ou de nossos próprios paradigmas negativos que nos fazem sofrer, parece ser a constante busca desse conceito chamado liberdade. A busca por ela talvez seja nosso grande desafio, de simultaneamente sermos nós mesmos e vivermos harmonicamente com o outro.

Lucimara Fernandes disse...

Oi Fred,
Um desafio que talvez jamais seja completamente superado, mas que não podemos deixar de tentar... A busca pela superação é o que nos impulsiona a seguir em frente!
Adorei a visita e o seu comentário!
Obrigada!
Grande abraço!!

Anônimo disse...

OI LU,BOM DIA
TIVE QUE CANCELAR MEU E-MAIL E FACEBOOOK, estou avisando se vc rc um e-mail com meu nome ou perguntando por mim delete, por favor um beijão.

SEAMAN

Lucimara Fernandes disse...

Oi Marinheiro!
Me ligue quando puder!
bjs